O BRETTON WOODS MARXISTA LIBERAL

O BRETTON WOODS MARXISTA LIBERAL

CÁSSIO GUILHERME, PRESIDENTE DO MOVIMENTO INTEGRALISTA E LINEARISTA BRASILEIRO MIL-B, FUNDADOR DO LINEARISMO.

“ ESTÁ ESCRITO NOS EVANGELHOS: GANHARÁS TEU PÃO COM O SUOR DO TEU ROSTO. ENTRETANTO, NO MUNDO CAPITALISTA, A MÁXIMA SE CONVERTEU NESTA OUTRA: GANHAREI MEU PÃO COM O SUOR DO ROSTO ALHEIO” IN OLBIANO DE MELLO ( LÍDER INTEGRALISTA), A QUARTA FORÇA, 1951.

Não há a menor dúvida de que estamos vivendo um Momento Histórico nesse fim de ano de 2008. As notícias de crise generalizada nos Mercados Financeiros mundiais não param de aparecer na mídia amestrada e subserviente. Como sempre, começaram a surgir também os tais marxistas de plantão, a esquerdinha festiva que de maneira sorrateira sempre aparece para se auto-proclamar inimiga do processo capitalista e tentar ganhar militantes criticando os banqueiros ( que são os financiadores de fato dos Movimentos Comunistas). Uma desordem começa a tomar conta das Economias mundiais e as populações começam a se dar conta de que talvez a crise seja permanente e de profundas conseqüências no dia a dia das pessoas. Nesse cenário de mixórdia financista, estamos ouvindo duas palavras que voltaram a despertar interesse dos mais conscientes e críticos: Bretton Woods. As reuniões de mentirinha dos líderes dos Bancos Centrais dos países do mundo e dos “ governantes” começam a pedir um “ novo Bretton Woods” para regularizar a jogatina e a voracidade inescrupulosa dos Banqueiros Internacionalistas, esses sim os verdadeiros Governantes dos países e do Mundo. Mas de maneira resumida, o que significou para a Economia mundial esse encontro de 1944, realizado na cidadezinha de Bretton Woods no estado de New Hamphshire nos EUA?? Vamos responder de maneira analítica, despidos dos vícios dessa mídia dominada e corrompida, que não tem coragem de realmente explicar para as massas o que foi essa conferência sórdida e maquiavélica.

O encontro de Bretton Woods representou de fato o maior golpe econômico da História da Humanidade. Mais de 45 países estiveram presentes no evento, mas a tônica de discussão foi totalmente favorecida pela influência dos EUA ( leia-se nesse caso, dos banqueiros internacionalistas, que usam os EUA como fachada). Nesse encontro o dólar foi alçado ao patamar de moeda de referência comercial das nações. Todo o processo produtivo e de transações comerciais seriam cotados em dólares, que passou a ser um título de crédito de comércio e de seguro. Esse o grande golpe mundial nas finanças de todos os países: como somente os EUA tinham a maquininha de produção do dólar, na prática, todos os países passaram a ser fiscalizados pelos americanos( leia-se banqueirismo internacional) e todos os países passaram a ser fiadores da dívida comercial americana e de suas incursões belicistas pelo mundo. Os 45 países presentes ao encontro foram obrigados a assinar um acordo de auto-destruição, uma armadilha criada pelos verdadeiros Donos do Mundo, interessados em padronizar as transferências de riqueza e controlar os meios de produção do planeta. Esse encontro foi tão escandaloso que o economista inglês John Maynard Keynes, que esteve presente, afirmou: “ os EUA se tornaram da noite para o dia os controladores do mundo”. Nesse encontro foram fundados também o FMI e o Banco Mundial , além do Gatt que depois se transformou em Organização Mundial do Comércio. Logo depois desse encontro podemos definir também o início do sistema monetário internacional e a globalização produtiva e financeira. E em 1971 veio o golpe de misericórdia nas economias mundiais: foi abolido o padrão-ouro e o dólar passou a ser o valor de referência das moedas. Ou seja, os EUA ( leia-se banqueiros internacionais que controlam o FED americano) passaram a ter o dom do “ Toque de Midas”, ou passaram a transformar um punhado de papel higiênico em valor monetário.

Pois bem. O que estamos observando agora é um total esgotamento desse modelo hegemônico putrefato criado nos EUA para beneficiar de forma unilateral os banqueiros internacionalistas. A crise de 1929, ao contrário do que diz a mídia macaqueada, não tem nada a ver com essa crise de agora. Em 1929 tivemos um excesso de produção sem a contrapartida em demanda, o que gerou escassez de ativos financeiros; em 2008, os ativos financeiros existem de forma virtual, e a bancarrota do sistema de crédito se dá por que justamente o dinheiro só existe nos computadores das Bolsas de Valores. Como prova desse fato, de que os ativos financeiros tornaram-se milhares de vezes superiores aos ativos produtivos e comerciais, podemos exemplificar que os dois gigantes especuladores mundiais senhor George Soros e Senhor Warren Buffett ganharam mais de 40 milhões de dólares em 1999, com a pós-crise asiática, em menos de 1 dia, só por que dispunham de informações privilegiadas de ações dos Tesouros de países asiáticos. Sem uma gota de suor, ou uma enxada nas mãos, ou um caminhão para dirigir, ou um horário apertado para cumprir, ou uma indústria para gerenciar, esses dois projetos de Satãs modernos embolsaram essa fortuna, enquanto milhares morrem de fome todos os dias por falta de dinheiro para comprar um remédio. Nem mesmo o Rei Midas da Mitologia teve tamanho poder em suas mãos.

Tivemos em 1999 também uma tentativa frustrada de “ organizar” os mercados financeiros. Após a tal “ queda do Muro de Berlim”, outra mentirinha criada pelos Donos do Mundo para darem a idéia de que o mundo comunista era antagônico ao mundo capitalista, tivemos o “ Consenso de Washington” que tentou em vão controlar a voracidade dos especuladores internacionais. Esse acordo só serviu para impor aos países do terceiro mundo regras de conduta escorchantes ditadas pelo FMI, como o Plano Real por exemplo, que estagnou de certa forma a produção de divisas nacionais e a produção tecnológica. Tudo falsificações baratas para enganar a opinião pública mundial.

E eis que agora os mesmos especuladores e jogadores querem um novo Bretton Woods para “ regularizar” o mercado financeiro mundial. Só que agora, o grande componente será a intervenção estatal nos fluxos de dinheiro fantasmas pelo mundo( dinheiro que só existe, repetimos, nas telas dos computadores e nos cabos telefônicos de comunicação). Mas essa intervenção não virá para impedir as jogadas e trapaças dos banqueiros; virá para impedir que as bancas de jogatinas quebrem efetivamente. Será, como dizem os comunas ( e os liberais, farinha dos mesmo saco), a implantação do Capitalismo de Estado, moderno, uma mistura de marxismo e liberalismo: Os governos serão liberais enquanto os banqueiros estiverem com seus ganhos astronômicos( ai valem as regras de liberdade de mercado); caso esses ganhos sejam afetados por algum sinistro ou imprevisibilidade de mercado, os governos entram com o dinheiro do contribuinte, suado, para salvar os “ pobrezitos banqueiros”( ai teremos a socialização de perdas e o comunismo de dívidas). Esse o fundamento prático, popular, da nova doutrina que será implantada no novo Bretton Woods. Como sugestão, gostaríamos que esse encontro fosse realizado em Woodstock, nos EUA, pois psicodélico por psicodélico, ainda daria para o pessoal fumar uma maconha e ouvir um rock antes de escutar o veredicto final das decisões dos banqueiros. Já existe uma mística construída em torno do lugar. Seria muito mais digerível para os cidadãos entorpecidos pela empulhação e pelo terrorismo intelectual da mídia mundial o nome: ENCONTRO FINANCEIRO DE WOODSTOCK 2008. E a partir daí salve-se quem puder!! E mais uma vez, os capitalistas liberais e os comunistas assassinos se dão as mãos para escravizar os povos em torno do materialismo mais grosseiro e abjeto. As futuras gerações que infelizmente vão viver essa nova xaropada. Quem sabe alguns grupos de rock não aparecem também para animar essa festinha da mentira, nessa apoteose de cinismo e hipocrisia financeira??

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *